22 de junho de 2024

Jutan Araújo

Sem Meias Verdades

Suspeita de venda de postos de trabalho é presa na Operação SAC

Um esquema de venda de cargos públicos foi desarticulado pelo Departamento de Repressão e Combate à Corrupção, ao Crime Organizado e a Lavagem de Dinheiro (Draco). Uma mulher suspeita do oferecer os postos de trabalho no serviço público, mediante o pagamento de quantias que variavam entre R$ 3 e R$ 60 mil, a depender do suposto cargo negociado, teve o mandado de prisão preventiva cumprido em Salvador, na segunda-feira (27), durante a 2ª etapa da Operação SAC.

Conforme as investigações do Draco, a mulher se passava por servidora pública de uma instituição, onde ela foi funcionária terceirizada e utilizava um uniforme para ter acesso aos órgãos públicos e conseguir ludibriar as vítimas. As apurações apontaram indícios de que 65 pessoas foram lesadas, entre estas, um grupo de idosos. A estimativa é de que a soma dos danos causados pelos golpes seja de aproximadamente R$ 2 milhões.

Na 1ª etapa da Operação SAC, deflagrada em abril deste ano, foram bloqueados bens em nome da suspeita e em sua residência, no bairro de Patamares, foi cumprido um mandado de busca e apreensão. Conforme apurado no inquérito policial, a suspeita continuou tentando ocultar valores ilícitos, transferindo para contas de terceiros e utilizando uma empresa de fachada, no intuito de movimentar essas quantias.

A mulher será indiciada por estelionato e furto qualificado e segue sendo investigada por crime de lavagem de dinheiro. Ela passou por exames de lesões corporais e permanece presa, à disposição do Poder Judiciário.